domingo, 16 de janeiro de 2011

Anorexia e Bulimia Nervosa

 

O que é Anorexia Nervosa?

É um transtorno alimentar, ou seja, um distúrbio do ato de comer, em que as pessoas evitam ingerir alimentos pelo medo exagerado de ganhar peso, e assim chegam a níveis abaixo do mínimo que seria o normal para sua altura. Essas pessoas, na maioria mulheres, têm plena certeza de que são gordas, e a simples idéia de virem a ganhar poucos gramas na balança, as apavora e gera ansiedade e angústia. Por reação da própria natureza, às vezes são invadidas por uma fome voraz que as faz comer e induzir vômito. Mas o que sempre está presente do ponto de vista psíquico é o pensamento repetitivo de que estão obesas e precisam perder peso e a fixação em comida.

Quais outras características podem sinalizar a Anorexia Nervosa?


Além dessa obsessão pela idéia do emagrecimento, é comum que colecionem receitas e cozinhem para que os outros a sua volta comam "por elas".

As mulheres têm seu ciclo menstrual interrompido por no mínimo três semanas consecutivas, pois a falta de gordura no corpo não deixa que os hormônios femininos fiquem nos níveis normais. E o corpo perde as características delineadas de fêmea, devido ao emagrecimento exagerado. Mesmo assim, permanecem em constante dieta com restrição exagerada de calorias e estão sempre insatisfeitas com sua aparência física e com a crença de que estão gordas.

As anoréxicas desenvolvem rituais estranhos em torno da alimentação e muitas vezes comem escondidos. Outra obsessão são os exercícios físicos que chegam a ser praticados em exagero para acelerar a perda de peso e compensar o mínimo de ingestão alimentar, quando não são do tipo que vomitam. É um transtorno alimentar freqüente em bailarinas, manequins ou moças e moços que já sofreram críticas por terem “barriguinhas” ou um pouco de peso excessivo.

A Anorexia Nervosa faz com que a vivência da forma do corpo seja distorcida e gera sofrimento, ou da própria pessoa, ou da família, que vê a pessoa definhar e morrer aos poucos, pois a doença provoca perda da massa muscular, do esmalte dos dentes, da motivação, irritabilidade, da produção escolar ou no trabalho.

Muitas moças chegam a necessitar de internamento hospitalar devido ao risco de perder a própria vida, pois a queda dos níveis de sais minerais, vitaminas e calorias necessárias para o coração e o cérebro funcionarem, pode provocar desmaios em lugares imprevistos e paradas cardíacas e respiratórias.

Com o avanço da doença, passam a dormir muito, pela falta de disposição e ata para evitar a comida.

Existem tipos diferentes de Anorexia Nervosa?

Sim. O DSM IV descreve dois tipos. Um em que o indivíduo apenas recusa-se a manter o peso corporal no nível normal e priva-se de comer sem, no entanto, envolver-se em auto-indução de vômitos e abuso de diuréticos e laxantes. No outro tipo de Anorexia Nervosa, os jejuns prolongados alternam-se com episódios de comer compulsivo, e posterior purgação através de vômitos e abuso de laxantes e diuréticos.

Como se trata a Anorexia Nervosa?

Em geral a Anorexia Nervosa está associada à depressão e por isso é tratada com antidepressivos, às vezes combinados com estabilizadores do humor e psicoterapia.

A psicoterapia atua sobre a aceitação da pessoa em relação à sua doença e ajuda o indivíduo a se regrar prevenindo e identificando recaídas. Identificar situações que favorecem a depressão, com suas obsessões e compulsões, e o retorno dos sintomas é um trabalho que exige tempo e paciência, bem como aceitar a medicação como ajuda e não como estorvo ou desgraça.

O que é a Bulimia Nervosa?

É um transtorno alimentar em que o indivíduo tem episódios freqüentes de ingestão alimentar compulsiva, isto é, sem controle. Em pouco tempo o bulímico consome grande quantidade de alimentos e de preferência, alimentos de muita caloria e de fácil acesso.

Existe um sentimento de “falta de freio” sobre o comportamento de comer e o indivíduo sente-se incapaz de parar, mesmo que sua idéia inicial tenha sido de comer pouco.
Em geral come muito rápido e chega a passar mal, pois ingere grandes quantidades de comida num período de tempo determinado. Para compensar a ingestão alimentar exagerada, o bulímico faz longos períodos de jejum, induzem vômitos, usam laxantes, diuréticos, enemas e praticam exercícios físicos de forma obsessiva.

O Bulímico é aquele indivíduo gordo que come muito?

Não. Em geral o bulímico mantém seu peso no nível normal ou pouco acima do normal e por isso seu problema passa despercebido. Alimentam-se pouco na frente dos outros e quando a sós comem compulsivamente.

Depois se "desintoxicam" passando longos períodos dentro do banheiro para induzirem vômitos, e tem suas “manhas” para que ninguém perceba seus rituais. Ou fazem jejuns prolongados, ou dietas de sopas absurdas e passam o dia fazendo exercícios.

Que outros sinais indicam a Bulimia Nervosa?

Como na Anorexia Nervosa, há o interesse exclusivo por alimentos e calorias e rituais alimentares; obsessão por exercícios físicos; a presença de depressão grave e o comer escondido como prática comum.

O que diferencia a Bulimia Nervosa é basicamente o peso basal e o comportamento mais oscilante do humor, que o faz oscilar também o padrão alimentar. A bulímica busca com mais freqüência o tratamento, pois sabe que seu problema está fora do normal. Não tem aquela “certeza absoluta” da anoréxica.

Unhas curtas para a provocação dos vômitos, o sinal dos dentes no dorso da mão indicando também a “devolução da comida”, a distorção da imagem do corpo, as manchas nos dentes pelo ácido que volta do estômago, rouquidão e irritação na garganta, provocadas pelo mesmo ácido. São esses os sinais passíveis de observação.

Alguns bulímicos têm problemas de dependência de drogas e álcool e de furto compulsivo (cleptomania), devido à impulsividade.

Todo Bulímico induz vômito?


Não. Existe a bulimia sem purgação. Neste caso o peso é mantido devido aos jejuns e exercícios físicos praticados obsessivamente.

Como é tratada a Bulimia Nervosa?

Como na Anorexia Nervosa, na Bulimia Nervosa há presença de Depressão. Por isso, os antidepressivos são aconselhados, juntamente com estabilizadores do humor, na maioria dos casos.

No aspecto da psicoterapia a questão gira em torno do controle da alimentação, tipicamente obsessivo, e da dismorfia corporal (imagem corporal distorcida e busca de defeitos constantes pelo corpo). É quase regra que o bulímico padeça de sentimento de culpa após seus rituais de comer compulsivo e tenha dificuldades nos relacionamentos interpessoais.

Há algo seu que sempre esconde (vômitos, comer, beber, furtar) e se mantém em segredo.

Mensagem:
O preconceito é sempre o pior veneno para qualquer doença. Caso você ou qualquer familiar apresente um dos sintomas acima descritos, procure um bom Psiquiatra, Psicólogo ou Médico Clínico de sua confiança. O mais importante é manter a qualidade de sua existência e a comunhão com sua paz interior e com aqueles que o amam.

Simone Marchesini
Psicóloga Responsável

CRP:
08/04760
Contato: (41) 3342.6264



Nota: Sempre procure uma supervisão médica.   


Nenhum comentário:

Postar um comentário

domingo, 16 de janeiro de 2011

Anorexia e Bulimia Nervosa

 

O que é Anorexia Nervosa?

É um transtorno alimentar, ou seja, um distúrbio do ato de comer, em que as pessoas evitam ingerir alimentos pelo medo exagerado de ganhar peso, e assim chegam a níveis abaixo do mínimo que seria o normal para sua altura. Essas pessoas, na maioria mulheres, têm plena certeza de que são gordas, e a simples idéia de virem a ganhar poucos gramas na balança, as apavora e gera ansiedade e angústia. Por reação da própria natureza, às vezes são invadidas por uma fome voraz que as faz comer e induzir vômito. Mas o que sempre está presente do ponto de vista psíquico é o pensamento repetitivo de que estão obesas e precisam perder peso e a fixação em comida.

Quais outras características podem sinalizar a Anorexia Nervosa?


Além dessa obsessão pela idéia do emagrecimento, é comum que colecionem receitas e cozinhem para que os outros a sua volta comam "por elas".

As mulheres têm seu ciclo menstrual interrompido por no mínimo três semanas consecutivas, pois a falta de gordura no corpo não deixa que os hormônios femininos fiquem nos níveis normais. E o corpo perde as características delineadas de fêmea, devido ao emagrecimento exagerado. Mesmo assim, permanecem em constante dieta com restrição exagerada de calorias e estão sempre insatisfeitas com sua aparência física e com a crença de que estão gordas.

As anoréxicas desenvolvem rituais estranhos em torno da alimentação e muitas vezes comem escondidos. Outra obsessão são os exercícios físicos que chegam a ser praticados em exagero para acelerar a perda de peso e compensar o mínimo de ingestão alimentar, quando não são do tipo que vomitam. É um transtorno alimentar freqüente em bailarinas, manequins ou moças e moços que já sofreram críticas por terem “barriguinhas” ou um pouco de peso excessivo.

A Anorexia Nervosa faz com que a vivência da forma do corpo seja distorcida e gera sofrimento, ou da própria pessoa, ou da família, que vê a pessoa definhar e morrer aos poucos, pois a doença provoca perda da massa muscular, do esmalte dos dentes, da motivação, irritabilidade, da produção escolar ou no trabalho.

Muitas moças chegam a necessitar de internamento hospitalar devido ao risco de perder a própria vida, pois a queda dos níveis de sais minerais, vitaminas e calorias necessárias para o coração e o cérebro funcionarem, pode provocar desmaios em lugares imprevistos e paradas cardíacas e respiratórias.

Com o avanço da doença, passam a dormir muito, pela falta de disposição e ata para evitar a comida.

Existem tipos diferentes de Anorexia Nervosa?

Sim. O DSM IV descreve dois tipos. Um em que o indivíduo apenas recusa-se a manter o peso corporal no nível normal e priva-se de comer sem, no entanto, envolver-se em auto-indução de vômitos e abuso de diuréticos e laxantes. No outro tipo de Anorexia Nervosa, os jejuns prolongados alternam-se com episódios de comer compulsivo, e posterior purgação através de vômitos e abuso de laxantes e diuréticos.

Como se trata a Anorexia Nervosa?

Em geral a Anorexia Nervosa está associada à depressão e por isso é tratada com antidepressivos, às vezes combinados com estabilizadores do humor e psicoterapia.

A psicoterapia atua sobre a aceitação da pessoa em relação à sua doença e ajuda o indivíduo a se regrar prevenindo e identificando recaídas. Identificar situações que favorecem a depressão, com suas obsessões e compulsões, e o retorno dos sintomas é um trabalho que exige tempo e paciência, bem como aceitar a medicação como ajuda e não como estorvo ou desgraça.

O que é a Bulimia Nervosa?

É um transtorno alimentar em que o indivíduo tem episódios freqüentes de ingestão alimentar compulsiva, isto é, sem controle. Em pouco tempo o bulímico consome grande quantidade de alimentos e de preferência, alimentos de muita caloria e de fácil acesso.

Existe um sentimento de “falta de freio” sobre o comportamento de comer e o indivíduo sente-se incapaz de parar, mesmo que sua idéia inicial tenha sido de comer pouco.
Em geral come muito rápido e chega a passar mal, pois ingere grandes quantidades de comida num período de tempo determinado. Para compensar a ingestão alimentar exagerada, o bulímico faz longos períodos de jejum, induzem vômitos, usam laxantes, diuréticos, enemas e praticam exercícios físicos de forma obsessiva.

O Bulímico é aquele indivíduo gordo que come muito?

Não. Em geral o bulímico mantém seu peso no nível normal ou pouco acima do normal e por isso seu problema passa despercebido. Alimentam-se pouco na frente dos outros e quando a sós comem compulsivamente.

Depois se "desintoxicam" passando longos períodos dentro do banheiro para induzirem vômitos, e tem suas “manhas” para que ninguém perceba seus rituais. Ou fazem jejuns prolongados, ou dietas de sopas absurdas e passam o dia fazendo exercícios.

Que outros sinais indicam a Bulimia Nervosa?

Como na Anorexia Nervosa, há o interesse exclusivo por alimentos e calorias e rituais alimentares; obsessão por exercícios físicos; a presença de depressão grave e o comer escondido como prática comum.

O que diferencia a Bulimia Nervosa é basicamente o peso basal e o comportamento mais oscilante do humor, que o faz oscilar também o padrão alimentar. A bulímica busca com mais freqüência o tratamento, pois sabe que seu problema está fora do normal. Não tem aquela “certeza absoluta” da anoréxica.

Unhas curtas para a provocação dos vômitos, o sinal dos dentes no dorso da mão indicando também a “devolução da comida”, a distorção da imagem do corpo, as manchas nos dentes pelo ácido que volta do estômago, rouquidão e irritação na garganta, provocadas pelo mesmo ácido. São esses os sinais passíveis de observação.

Alguns bulímicos têm problemas de dependência de drogas e álcool e de furto compulsivo (cleptomania), devido à impulsividade.

Todo Bulímico induz vômito?


Não. Existe a bulimia sem purgação. Neste caso o peso é mantido devido aos jejuns e exercícios físicos praticados obsessivamente.

Como é tratada a Bulimia Nervosa?

Como na Anorexia Nervosa, na Bulimia Nervosa há presença de Depressão. Por isso, os antidepressivos são aconselhados, juntamente com estabilizadores do humor, na maioria dos casos.

No aspecto da psicoterapia a questão gira em torno do controle da alimentação, tipicamente obsessivo, e da dismorfia corporal (imagem corporal distorcida e busca de defeitos constantes pelo corpo). É quase regra que o bulímico padeça de sentimento de culpa após seus rituais de comer compulsivo e tenha dificuldades nos relacionamentos interpessoais.

Há algo seu que sempre esconde (vômitos, comer, beber, furtar) e se mantém em segredo.

Mensagem:
O preconceito é sempre o pior veneno para qualquer doença. Caso você ou qualquer familiar apresente um dos sintomas acima descritos, procure um bom Psiquiatra, Psicólogo ou Médico Clínico de sua confiança. O mais importante é manter a qualidade de sua existência e a comunhão com sua paz interior e com aqueles que o amam.

Simone Marchesini
Psicóloga Responsável

CRP:
08/04760
Contato: (41) 3342.6264



Nota: Sempre procure uma supervisão médica.   


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget